Arquivos: 2 de novembro de 2012

Toque de despertar

Bem cedo numa manhã de outono, enquanto dirigia no escuro para ir ao trabalho, fui surpreendido por uma fugaz mancha marrom no facho dos faróis e, em seguida, o som de algo atingindo a frente do meu carro. Eu atingira um cervo a 110 quilômetros por hora! Fora apenas um golpe de raspão, sem qualquer dano em meu carro (ou no cervo, pelo que pude ver), mas aquilo me abalou de verdade. Eu dirigia do meu jeito habitual, em modo automático, no percurso que me era familiar até o escritório, mas, com certeza, o choque do incidente despertou minha atenção. Estava, agora, totalmente alerta e tentando acalmar um coração acelerado. Foi um toque de despertar extremamente desagradável.